Documentário

Paisagem Concreta

STORY

Fundação Ibere Camargo, em Porto Alegre
“Paisagem Concreta” é um diálogo entre o Brasil e Portugal, entre a cidade do Porto e Porto Alegre por meio do prédio da Fundação Iberê. A icônica obra de arquitetura encomendada para abrigar o acervo do artista plástico gaúcho Iberê Camargo, foi projetada pelo premiado arquiteto português Álvaro Siza, atualmente com 89 anos.

O documentário abriga três linhas narrativas. A primeira transcorre em 2020. Em linguagem de cinema direto acompanhamos a montagem da exposição “Fio de Ariadne”, uma mostra dedicada às obras inéditas de Iberê composta por tapeçarias e cerâmicas, além de quadros que estavam escondidos em seu acervo. Com acesso inédito, as câmeras percorrem os meandros do icônico edifício. Enquanto isso, a segunda linha narrativa desbrava a personalidade do arquiteto Álvaro Siza. 

Rodeado por desenhos, entre um cigarro e outro, em uma entrevista exclusiva feita em 2017, o arquiteto esmiúça o projeto elaborado em 1998, sua única obra na América do Sul. As explicações de Siza são apoiadas por raras imagens de arquivo da construção da Fundação Iberê. Ele revela que sua relação com o Brasil começou muito antes do convite para o concurso do museu no Rio Grande do Sul. Seu pai nasceu em Belém do Pará, onde seu avô, Júlio Siza, trabalhou como bem sucedido retratista durante o ciclo da borracha no final do século XIX. Além das histórias contadas pelo pai Siza, relembra como durante sua juventude, a arquitetura, a música e até as telenovelas brasileiras povoaram seu imaginário. 

Siza também fala sobre seu processo de criação, ilustrado por um percurso visual a algumas de suas obras mais relevantes em diferentes lugares de Portugal e comentadas por colaboradores, ex-colaboradores e críticos portugueses.

Com ares de escultura, o edifício da Fundação Iberê levou ao todo 10 anos para ser concluído. Feito em concreto branco por fora, usou as últimas tecnologias construtivas e os materiais de maior qualidade disponíveis na época. Sua obra transcorreu em um momento histórico de efervescência econômica mundial e terminou em 2008, ano chave da crise econômica. Logo, a terceira linha narrativa, observa o futuro e propõe uma reflexão sobre a manutenção tanto arquitetônica como institucional dessa construção monumental. Críticos e jovens arquitetos brasileiros debatem:  como em um cenário de políticas culturais pouco promissoras, se contrapondo com a urgência da inclusão e da diversidade social, sobreviverá essa paisagem concreta criada por um português?

 
Ficha Técnica

Direção: Luiz Ferraz e Laura Artigas

Produção: Luiz Ferraz e Gal Buitoni

Produção Executiva: Gal Buitoni

Ideia Original e Pesquisa: Raul Penteado

Argumento e Pesquisa: André Scarpa e Manuel Sá

Roteiro: Laura Artigas

Direção de Fotografia Porto Alegre, Belém, São Paulo e Portugal: Manuel Sá

Direção de Fotografia Portugal e São Paulo: André Scarpa

Produção e Fotografia Adicional em Portugal: Marco Artigas

Fotografia Adicional em Porto Alegre: Rafael Stedile

Drones em Portugal: Manuel Costa

Drones em Porto Alegre: Manuel Sá

Som Direto Porto: Pedro Adamastor

Som Direto Porto Alegre: Raysa Fisch

Coprodução com a Duo2 e Ukbar Filmes (Portugal). Em fase de produção para o Canal Arte 1

Série

A Mão Invisível

Asssitir
Documentário

Outro Rolê

Asssitir